Warning: ob_start(): non-static method wpGoogleAnalytics::get_links() should not be called statically in /home/mayer/mayer.art.br/blogdobeto/wp-content/plugins/wp-google-analytics/wp-google-analytics.php on line 259
H.G.M.’s Blog » 2009 » February

February 2009


Bizarro and Ensino and Google Bomb and Governo and Proprietário X Livre and Software Livre19 Feb 2009 02:11 pm

Comentando o post “Nunca na história deste país – MEC quer ter maior projeto de virtualização do mundo – com Linux” no Br-Linux, escrevi o comentário abaixo. O Manoel Pinho colocou um link para o video que resume tudo.

Tecnologia e Metodologia

Infelizmente isto mostra o quanto os governos estão sem rumo na questão do ensino de informática nas salas de aula.
Enquanto não houver um estudo sério de currículo de informática no ensino fundamental, não fará sentido o emprego de computadores, pois não há formação de professores nem um direcionamento de ensino. Então tanto faz a plataforma utilizada, pois enquanto o ensino se resume em desenhos vetoriais e o uso de e-mail/msn/orkut, a única diferença é o custo final na compra.
O problema está no seguinte: a informática se tornou essencial na sociedade em apenas 15 anos, que coincide com o aparecimento sa internet no Brasil (eu diria que essencial mesmo em 8 anos, mas é outra discussão). Os pensadores do ensino não conseguem normatizar o currículo tão rapidamente, vide outras área: ensino de trânsito, sexual, financeiro, é inexistente ou quase. As pessoas ainda saem das escolas sem entender que cartões de crédito cobram juros de pagar o mínimo da fatura, que transar com 15 anos causa gravidez (minha esposa fez um comentário – “sem as devidas precauções” :-)    )  e que deve-se olhar para a sinaleira (farol) antes de atravessar a rua. Imaginem quando haverá um ensino consistente de informática nas escolas, enquanto o conceito de inclusão tecnológica se resume a ter uma conta no orkut e datilografar algum texto no word. Até lá, todo o gasto com informática será dinheiro posto fora, e o governo só o faz porque há pressão da sociedade e lobby de empresas.
E toda a intenção de se promover o software livre no ensino, mais uma frase do Manoel Pinho que traduz meu pessimismo:

Pelo que eu vejo de planejamento em muitas iniciativas governamentais para o uso de software livre, basta uma mudança de governo e a oferta de descontos generosos de alguma empresa como a Microsoft para colocar tudo por terra e voltarem para a solução comum de comprar um monte de micros com windows OEM.

Software Livre13 Feb 2009 12:27 am

Em janeiro, completei 10 anos de experiência com Linux. Instalei na época um slack que veio num livro sobre programação para linux, creio que com o kernel 1.2, já era ultrapassado na época, mas o livro justificava a escolha com algum argumento contra a instabilidade do kernel modular, essas coisas.
Também experimentei a maioria destas distros, logo após o slack (que ficou no modo texto), um amigo foi no escritório e instalou pra mim o Debian 2.0, após comprei da CheapBytes (uma loja nos EUA) um set de CDs do Red Hat 6.1, experimentei várias outras distros que vieram em várias revistas (o Corel queimou um monitor meu…) mas o que funcionou melhor na época foi o Conectiva 4.0 que comprei na feira do livro de Porto Alegre em novembro de 1999. Consegui configurar meu modem de cara (com setserial e tals) e o video. Por um período utilizei o Mandrake 8.0 (acho que encomendei da LinuxMall) e após passei a usar o Debian. Inclusive participei ativamente do Debian-rs por alguns anos (dos melhores anos!). Hoje utilizo o Kubuntu, com o jeito Debian de configurar, o KDE (que uso desde a versão 1.0) e não me preocupo muito mais com configurações de baixo nível. Creio que desde 2001 uso Linux em 100% do meu tempo, e posso dizer que toda esta história é uma parte importante e feliz de minha vida, pois minha profissão é a música, e graças ao Linux e o SL, passou a ser a informática também!