Warning: ob_start(): non-static method wpGoogleAnalytics::get_links() should not be called statically in /home/mayer/mayer.art.br/blogdobeto/wp-content/plugins/wp-google-analytics/wp-google-analytics.php on line 259
H.G.M.’s Blog » Uma porta aberta
Música25 Jun 2008 07:09 pm

Desde a adolecência eu fiz arranjos de músicas, piano -> orquestra, orquestra -> piano, terminei obras incompletas de Mozart, transcrições para quarteto de cordas, etc, etc.

Em 2001 o maestro Lutero Rodrigues me deu a oportunidade de estrear um arranjo meu pela primeira vez com a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro. Foi a Rapsódia para Piano, Opus 119 de J. Brahms que transcrevi para orquestra de cordas.

Logo, em novembro de 2003, o Lutero novamente me oportunizou tocar com a mesmo orquestra minha transcrição para cordas da abertura da ópera O Empresário de Mozart, e desta vez eu tive a honra de ensaiar e conduzir a orquestra, tocando como leader.

Após a saída de Lutero da Orquestra, nunca mais houve uma oportunidade para este tipo de trabalho.

Segunda-feira passada foi realizado o terceiro concerto da temporada deste ano da OCTSP, com aberturas e áreas de óperas de Mozart e Rossini, com quatro cantores e a orquestra, acrescida de sopros e tímpanos. Acontece que o (a) soprano de Pelotas iria cantar uma ária da ópera Tancredi de Rossini, que ninguém tem a partitura por aqui, e descobriu-se isso na semana anterior do concerto. Então o Maestro A. C. Borges Cunha me ligou na quinta-feira da semana passada para me perguntar se eu faria a orquestração desta área, baseado na redução para piano e uma gravação. Aceitei na hora, recebi via MSN (Pidgin!) a gravação e me enviaram via e-mail a partitura de piano escaneada de Pelotas. Comecei na quinta à noite, e recomecei na sexta as 15:30, somente acabando às 5:00 da madrugada do dia seguinte, pois as 9:00 comecaria o ensaio, o ante-penúltimo do concerto. Estava com medo de ter errado a transposição de algum instrumento (clarinetes e trompas), mas deu certo. Fiz todo o trabalho utilizando o software Sibelius 4.1 rodando sobre Wine 1.0 em um Kubuntu Linux, sem problemas (leia este post: Partituras em Linux e Software Livre)

Na segunda-feira à tarde antes do concerto, recebi um gentil e-mail do maestro Cunha desculpando-se pelo fato de não sair meu nome no programa, pois este já estava impresso antes do meu arranjo. Tocamos à noite, e foi emocionante por ter ficado muito semelhante à orquestração de Rossini. Como não saiu no programa, e ninguém achou estranha a área, acho que cumpri com o compromisso!

Foi o resultado do investimento intelectual, ter feito muitos trabalhos gratuitos anteriormente e ter tido a cara de pau de apresenta-los :-)

Creio que abriu-se uma porta para novos trabalhos. Obrigado Cunha, pela confiança e oportunidade!

One Response to “Uma porta aberta”

  1. on 08 Jul 2008 at 4:30 pm pedruf

    que tri! pena que eu nao tava la pra ver. o proximo passo é escrever a tua versão do requiem de mozart!

Trackback this Post | Feed on comments to this Post

Leave a Reply